Você utiliza indicadores de projetos para avaliar o desempenho no seu dia a dia? Quando falamos de gestão de projetos, métricas de performance são um elemento fundamental. Com elas, profissionais podem avaliar a qualidade do serviço executado e garantir que nenhum problema fique indetectado.

Mas, para implementar as métricas corretas, é preciso planejamento. A empresa deve entender quais são as mais adequadas para o seu cenário e como cada uma pode auxiliar analistas no seu dia a dia. Para te ajudar com isso, preparamos o post a seguir.

Continue a leitura e veja como as métricas podem ser utilizadas na gestão de projetos!

O que é um indicador de performance?

Os indicadores de performance são métricas utilizadas para avaliar o impacto de estratégias ou a qualidade de um serviço executado. Eles podem mensurar fatores como aderência a prazos, retorno financeiro obtido com investimentos e o nível de produtividade de uma equipe. Juntos, eles ajudam gestores a avaliar a qualidade das suas decisões e o que pode ser otimizado no ambiente de trabalho.

Por que indicadores devem ser utilizados para otimizar a gestão corporativa?

A adoção de indicadores de desempenho durante a execução de projetos é fundamental para avaliar a qualidade do serviço executado, assim como a evolução das rotinas. Por meio deles, os gestores podem verificar gargalos, avaliar se o fluxo corresponde ao que é esperado e se os times estão trabalhando com uma agilidade contínua. Assim, se problemas existirem, as medidas corretivas aplicadas serão mais eficientes e diretas.

Eles ajudam a sumarizar um grande conjunto de informações, facilitando o acompanhamento executivo.

Quais são os melhores indicadores para a gestão de projetos?

Como apontamos, utilizar indicadores de desempenho durante projetos é crucial para o sucesso de cada iniciativa. Veja quais podem te ajudar a seguir!

Desvios de esforço

Saber exatamente se todos os times estão trabalhando dentro do esperado é sempre um desafio. Para que isso seja feito, existe o índice de esforço. Essa métrica identifica se todos os recursos operacionais estão sendo executados conforme o planejado.

Um desvio muito grande em relação às horas ou investimentos que o time de planejamento julgou ser necessário para executar o projeto pode indicar uma capacidade de definir rotinas baixa, mudanças de escopo (solicitações adicionais não previstas), falta de capacitação ou dificuldades não previstas. Isso demandará da equipe mais atenção para validar projetos e os seus prazos. Assim, os times podem ser moldados conforme a demanda real e as chances de atrasos serão muito menores.

Retorno sobre o investimento

Esse indicador geralmente é aplicado após o projeto ser executado. Também chamado de ROI (sigla para Return Over Investiment), essa métrica identifica o impacto financeiro causado por um investimento ou projeto. Assim, o gestor pode validar se a empresa obteve benefícios ou não ao término de todas as etapas.

O cálculo do ROI é feito indicando a diferença entre o valor investido no projeto e os lucros que ele trouxe para a empresa. O percentual entre os dois valores apontará, para o negócio, o tamanho do lucro obtido a partir de fatores diretos e indiretos. Ou seja, o ROI validará se os eventuais ganhos de performance, produtividade e competitividade foram capazes de atrair receitas maiores do que o que foi investido na iniciativa.

HORIZONTAL Gerenciamento Ágil de Projetos

Aderência a prazos (IDP)

Prazos são muito importantes para projetos corporativos. Entre os fatores que podem atrapalhar o resultado final, aliás, eles estão entre os principais. Afinal, quanto menor a aderência da equipe, maior será o custo final e o grau de insatisfação do consumidor.

Por isso a empresa deve manter um controle contínuo do nível de aderência aos prazos existentes. Quanto mais em dia com as datas de cada etapa a equipe estiver, menores serão as chances de algo não ser entregue dentro do que foi acordado. Ao mesmo tempo, se gargalos acontecerem, o gestor poderá corrigir cada um rapidamente com investimento em novas tecnologias, automação ou treinamentos.

Satisfação do cliente

Esse é outro tipo de indicador de desempenho que deve ser aplicado para garantir que a empresa sempre terá como replicar boas práticas de projetos. A satisfação do cliente precisa ser mensurada continuamente, evitando que ocorra um mau alinhamento de expectativas. Ou seja, identificar como o cliente está satisfeito ao longo do projeto evita que o resultado final cause danos à imagem da equipe envolvida e à empresa.

Estabeleça um controle contínuo de qualidade, por meio de feedbacks e uma comunicação aberta. Busque entender o que o cliente demanda e se as equipes estão seguindo o caminho certo. Desse modo, você poderá entregar um projeto final robusto e dentro dos padrões esperados.

Um dos indicadores mais utilizados para medir o nível de satisfação dos clientes é o Net Promoter Score (NPS). Ele é calculado com base nas respostas para uma única pergunta:

“Qual a probabilidade (de 0 a 10) de você recomendar nossa empresa / produto / serviço a um amigo ou colega?

Pessoas que respondem 9 ou 10 são classificadas como promotoras (seus clientes mais satisfeitos e advogados de sua marca), 7 ou 8 passivas ou neutras e 0 a 6 detratoras. O NPS é calculado subtraindo o percentual de detratores do percentual de promotores.

IDC – Índice de Desempenho de Custo

O IDC aponta se os custos de execução do projeto estão dentro do que foi previsto no orçamento. Dessa maneira, se o projeto estiver gastando mais do que o esperado, os gestores podem tomar medidas ativas para evitar que os desperdícios continuem. Ou seja, o IPD garante a previsibilidade orçamentária do projeto ao longo de toda a sua execução.

O Índice de Desempenho de Custo se calcula dividindo o valor gasto com o projeto pelo custo que estava previsto no orçamento. Se o resultado da conta der 1, isso apontará que os custos estão dentro do previsto. Já um índice acima de 1 aponta que os times estão gastando excessivamente, enquanto um índice abaixo de 1 é um indicativo de que há economia.

Números não mentem (em geral)

gestão de projetos é uma tarefa complexa. Para garantir que as medidas aplicadas consigam dar certo, o gestor deve utilizar da análise de dados durante o planejamento ou de processos automatizados. Ao mesmo tempo, pode treinar equipes e otimizar a troca de dados.

Investir em indicadores de performance é uma ótima forma de ter uma visão abrangente sobre toda a evolução do projeto. Com alguns passos o gestor poderá acompanhar como as equipes estão executando as suas rotinas e se os profissionais estão atendendo às expectativas. Ao mesmo tempo, poderão corrigir problemas e evitar que más práticas se perpetuem.

Por isso, não deixe de investir em indicadores de projetos adequados à realidade do seu negócio. Também integre ferramentas de gestão ao seu dia a dia. Desse modo, validar as métricas e garantir que o trabalho esteja dentro do esperado será algo muito mais simples.

Gostou da nossa lista? Então, assine já a nossa newsletter para receber mais conteúdos como esse no futuro!